sábado, 19 de setembro de 2015

Minicurso Jogos Africanos no Ensino de Matemática

Na manhã do dia 17 de Setembro de 2015, aconteceu no Laboratório de Ensino de Matemática (LEMA) o minicurso intitulado “Jogos Africanos no Ensino de Matemática”, ministrado pelo grupo de bolsistas da Escola de Ensino Médio Monsenhor Linhares, localizada em Groaíras. O minicurso foi ofertado para um total de 20 participantes e foi dividido em três momentos. Inicialmente foi feito uma breve apresentação sobre a cultura africana, sua história, seus costumes, tradições, religião, curiosidades e etc. Ainda, aconteceu uma discussão sobre a criação e introdução da Lei nº. 10.639/2003 no currículo escolar, que institui a obrigatoriedade do ensino da História e Cultura Afrobrasileira e Africana nos currículos escolares do Ensino Fundamental e Médio. No segundo momento, ocorreu a exploração de alguns jogos africanos, mais precisamente o Yoté, o Borboleta (assim chamado em Moçambique, talvez pelo fato da forma de seu tabuleiro), o Shisima e o Mancala (jogo mais antigo do mundo). Os tabuleiros foram confeccionados pelas bolsistas autoras desse minicurso. Foi possível mostrar para os participantes a junção entre os conhecimentos Matemáticos presentes nos jogos, tais como o raciocínio lógico, estratégia, noções de espaço e diversos outros, sem falar na imensa interdisciplinaridade envolvida nessa atividade. Foi explicado também, as regras e objetivos de cada jogo e os participantes foram convidados para jogá-los e disputá-los entre si. Para finalizar, abriu-se um espaço para discussões a respeito do tema e assim encerrou-se o minicurso.
D’ Ambrósio afirma que, “reconhecer e respeitar as raízes de um indivíduo não significa ignorar e rejeitar as raízes do outro, mas, num processo de síntese, respeitar as próprias raízes”.

video

Um pouco sobre os jogos abordados no minicurso →

O Yoté é muito popular em toda a região oeste da África, particularmente no Senegal, onde os jogadores e os espectadores fazem apostas. Em algumas tribos, este jogo é reservado exclusivamente aos homens, e às vezes, é usado para resolver conflitos entre eles. É um jogo de confronto estratégico para dois jogadores, usa-se um tabuleiro com doze peças escuras e doze peças claras. O objetivo do jogo é capturar ou bloquear todas as peças do adversário.

O jogo é chamado Borboleta em Moçambique, provavelmente por causa da forma do tabuleiro. Na Índia e em Blangadesh, as crianças chamam o mesmo jogo de Lau Kata Kati.

As crianças do país africano Quênia jogam um jogo de três alinhado chamado Shisima. Na língua tiriki, a palavra shisima quer dizer "extensão de água". Eles chamam as peças de imbalabavali, ou pulgas d'água. As pulgas d'água se movimentam tão rapidamente na água que é difícil acompanhá-las com os olhos. É com essa mesma velocidade que os jogadores de Shisima mexem as peças no tabuleiro.

O jogo Mancala é um jogo milenar, comum nos países africanos e foi difundido principalmente quando negros e escravos migraram pelo mundo. Assim, a mancala compõe uma família de jogos de tabuleiro ao redor do mundo, algumas vezes chamada de jogos de semeadura ou jogos de contagem e captura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Projeto "+ Matemática"

Durante o mês de Agosto de 2017, os bolsistas do Subprojeto de Matemática do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBI...