sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Projeto: "Contribuições para o ensino e aprendizagem de matemática usando audiovisuais: o caso da série “Isto é Matemática”.

Durante o mês de Setembro de 2016, foi desenvolvido na Escola de Ensino Médio Monsenhor Linhares, no município de Groaíras, o projeto com o tema "Contribuições para o ensino e aprendizagem de matemática usando audiovisuais: o caso da série “Isto é matemática”. O projeto foi idealizado pela bolsista Rosário Lopes do subprojeto de Matemática PIBID –Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência – da Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA – que teve como finalidade desenvolver atividades que utilizassem os audiovisuais, em foco a série Isto é Matemática. As atividades ocorreram em maior parte no Laboratório de Informática da escola, contemplando 16 alunos do 1º e 3º ano, onde foram divididos em dois grupos , A com seis alunos e o B, com participação de 10 alunos.


A oficina foi vivenciada em quatro etapas: introdução e formação de equipes, escolha das fórmulas e elaboração do roteiro, produção de vídeos, apresentação acompanhada de diagnóstico. Os três primeiro encontros foi realizado com os alunos do Grupo A, onde o primeiro foi introduzido a oficina,em seguida assistiram o vídeo "A fórmula mais bela" e dividiram-se em equipes.Segundo encontro, foi apresentado algumas fórmulas para escolha dos alunos, logo após fizeram pesquisas sobre essas fórmulas para criação de um roteiro. O Terceiro encontro ocorreu para realização das filmagens e o último encontro que ocorreu com o Grupo B, foi para apresentá-los os vídeos produzidos pelos colegas e aplicação do diagnóstico sobre esses mesmos materiais.

Foto: Edna Brito


Foto: Rosário Lopes
Os resultados do projeto foram bastante satisfatórios, tanto para os estudantes da escola parceira que foram compromissados e se mostraram entusiasmados com as oficinas tanto para os bolsistas que puderam contar com mais essa experiência no âmbito de preparação para docência e para o uso dos materiais tecnológicos. Foi um momento de aprendizado em ambas as partes.

Através dos diagnósticos feito por eles, todas as questões foram concluídas, todas com o mesmo sentido, mas escritos com interpretações diferentes. Isso mostra que obtiveram atenção nos vídeos, e nas questões referidas nele, comprovando que o uso de recursos tecnológicos, no caso os audiovisuais, podem ser utilizados em sala de aula para contribuição no ensino e aprendizagem.

Foto: Profª Auxiliadora
Foto: Profª Auxiliadora


Aplicação do projeto "Possibilidades no uso de Fatos da História da Matemática para o Ensino de Trigonometria”

Durante o mês de setembro de 2016, a bolsista Mailane Silva do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência - PIBID, do subprojeto de Matemática, da Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA, atuante na Escola de Ensino Médio Monsenhor Linhares, localizada no município de Groaíras – CE, desenvolveu as atividades do projeto “Possibilidades no uso de Fatos da História da Matemática para o Ensino de Trigonometria”, a fim de analisar as possibilidades de inserções da História da Matemática no ensino e aprendizagem de Trigonometria. 


Dessa forma, foram desenvolvidas oficinas com cinco alunos do 3° A do turno matutino, com carga horária de 4h, onde se buscou despertar nos alunos o interesse e uma melhor aceitação da matemática, em especial pela Trigonometria, utilizando a História da Matemática para auxiliar na construção dos conhecimentos trigonométricos, possibilitando assim, apresentar como e o porquê do surgimento dos temas abordados nas aulas, ajudando na construção dos conhecimentos estudados e a compreender sua aplicação no cotidiano. 


Foto: Mailane Silva
Foto: Mailane Silva

Inicialmente foi feito uma revisão dos conceitos básicos da trigonometria aliados ao contexto histórico a partir de apostila desenvolvida pela bolsista, contendo um pouco da história e conceitos da Trigonometria, suas aplicações e propriedades, alguns exercícios resolvidos e alguns propostos para que o educando possa fixar melhor o assunto exposto. Os alunos tiveram participação ativa na resolução dos exercícios propostos, assim como na construção de um teodolito artesanal, desenvolvido pelos mesmos, que posteriormente foi utilizado no cálculo de distâncias inacessíveis, evidenciando na prática uma das aplicações da trigonometria no cotidiano. 
Foto: Mailane Silva

Foto: Mailane Silva

Esse recurso tornou o processo de ensino e aprendizagem mais interativo, construtivo e participativo, os alunos foram instigados a pesquisar, a explorar e interpretar conceitos trigonométricos, contribuindo para desfazer a ideia de que a Matemática é difícil ou que a Matemática é para poucos, uma vez que mostra a Matemática como criação humana, menos abstrata e evidencia sua utilização no dia a dia. Trabalhar a História constitui um fator que contribuiu para a motivação do aluno, despertando o interesse pelo conteúdo que está sendo ensinado.



Projeto: A Matemática dos Códigos de Barras.

Durante o mês de Setembro de 2016 aconteceu na escola Monsenhor Linhares o projeto: A Matemática dos Códigos de Barras, tendo como autora e aplicadora do projeto Edna Brito bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), do subprojeto de Matemática, da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

O projeto contemplou nove alunos distintos das turmas de 1º C, 2º C e 3º B anos do turno da tarde. Foram realizadas quatro oficinas sendo aplicadas no turno da tarde onde cada momento obteve uma abordagem diferenciada retratando a presença da matemática nos códigos de barras.

 Por meio desse projeto, foi proposto situações de aprendizagem com abordagem contextualizada, através de levantamentos históricos sobre a origem dos códigos de barras, estudos de tipos e padrões, aplicabilidade e evolução. Para fins didáticos mais relacionados à matemática propriamente dita, o trabalho também contempla exercícios, baseados em situações problema, que consiste na criação e usabilidade de um código de barras fictício, através do uso de tecnologias como celulares e softwares livres.

Foto: Rosário Lopes

Foto: Rosário Lopes

Foto: Edna Brito

Foto: Edna Brito

Foto: Edna Brito

 O objetivo deste trabalho foi demonstrar conceitos matemáticos por meio do estudo do código de barras, apresentando situações diárias e destacando também sua grande importância no comércio. Buscou-se ainda com essa atividade evidenciar a importância da Matemática como mecanismo para compreender melhor o nosso dia a dia.

Através desse projeto levamos aos alunos a desenvolver o espírito crítico, a criatividade, a interpretação, e a elaboração de estratégias para a resolução de problemas com base nos códigos de barras, visto que, é um assunto que recai em muitas discussões, tanto em fatores do cotidiano quanto históricos. Assim, poderemos contribuir com os alunos e educadores para a construção de um novo olhar frente ao processo de ensino e aprendizagem de matemática.



Aplicação do Projeto “Contribuições para o Ensino e Aprendizagem de Matemática usando Audiovisuais: o caso do portal Khan Academy”.

No mês de setembro, a bolsista Janaína Muniz do subprojeto de Matemática do PIBID – Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência – da Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA – desenvolveu na Escola de Ensino Médio Monsenhor Linhares, situada no município de Groaíras, atividades referentes ao Projeto “Contribuições para o Ensino e Aprendizagem de Matemática usando Audiovisuais: o caso do portal Khan Academy”. Para tanto, foram realizadas oficinas com o objetivo de despertar a autonomia e o interesse dos estudantes em aprender, através de atividades utilizando o portal Khan Academy, onde é possível assistir audiovisuais e resolver tarefas com o intuito de facilitar a aprendizagem. A atividade foi desenvolvida no laboratório de informática, disponibilizado pela escola, com a participação da turma do 2º ano do turno matutino, sendo seis estudantes da turma A e seis da turma B.

Os encontros ocorreram em horários diferentes para cada turma e de forma semipresencial, assim, os estudantes estudavam em casa, por meio dos vídeos e testes da plataforma, de maneira autônoma e atrativa o conteúdo proposto, que foi análise combinatória. E o momento em sala foi apenas para a resolução de atividades e esclarecimentos de dúvidas, o que tornou esses momentos mais produtivos.

Foto: Igo Costa

Foto: Janaína Muniz

A participação dos discentes foi bastante satisfatória por ser uma novidade para eles, com isso se sentiram motivados ao realizarem as tarefas. Todos os estudantes mostraram-se comprometidos e estavam sempre ativos no portal e no grupo do whatsapp, criado para facilitar a comunicação, esclarecimentos de possíveis dúvidas e disponibilização dos materiais apresentados no primeiro encontro, como também outros que foram viáveis e puderam contribuir para o melhor cumprimento das tarefas propostas.

Por meio da participação ativa dos discentes e da avaliação diagnóstica e avaliação final foi possível perceber a evolução do nível de conhecimento dos alunos referente ao conteúdo trabalhado e o quanto os audiovisuais contribuíram na compreensão dos conceitos da análise combinatória. O portal também contribuiu por suas atratividades como acúmulos de pontos e medalhas por cada atividade concluída, o que fez com que os estudantes acessassem muitas vezes ao portal para acompanhar o seu progresso e obter o maior número de pontos que desejavam. Eles até competiam uns com os outros, visto que, o que obtivesse maior pontuação receberia uma premiação, o que estimulou ainda mais na participação deles.

Foto: Janaína Muniz

Foto: Janaína Muniz






Debate na UVA sobre a Medida Provisória (MP) nº 746.

No dia 28 de setembro de 2016, no auditório central do Campus Betânia da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) aconteceu um debate sobre a Medida Provisória (MP) nº 746 que trata da criação do Novo Ensino Médio no país promovido pela Coordenadoria Institucional do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/UVA). O debate contou com a participação do Professor Antonio Glaudenir Brasil Maia, coordenador do PIBID/UVA, que conduziu o evento e segundo ele, o objetivo era “discutir com a comunidade acadêmica da UVA as mudanças propostas na Medida Provisória do Governo Federal para o Ensino Médio”. 

Na ocasião estavam presentes estudantes, professores, servidores técnicos e administrativos e à comunidade em geral. E como convidados para a composição da banca, os professores da UVA, Adriana Campani (Pedagogia), Francisco Alencar Mota (Ciências Sociais), Marcos Fábio Alexandre Nicolau (Filosofia), José Lyrial Rolim de Castro (Educação Física).

Foto: Rosário Lopes
Durante o evento foram discutidos alguns pontos que estão inclusos na MP. Um desses foi sobre o aumento da carga horária no ensino médio, que deve ser ampliada progressivamente até atingir 1,4 mil horas anuais, atualmente, o total é de 800, de acordo com o MEC. E o outro sobre a redução de algumas disciplinas, onde o conteúdo obrigatório será diminuído para privilegiar cinco áreas de concentração: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional.

Assim, o objetivo do governo federal é incentivar que as redes de ensino ofereçam ao aluno a chance de dar ênfase em alguma dessas cinco áreas, com a justificativa de facilitar na escolha de uma profissão na área mais favorável ao aluno. Já entre os conteúdos que deixam de ser obrigatórios nesta fase de ensino estão artes, educação física, filosofia e sociologia.

Os professores da banca fizeram seus comentários, expondo suas opiniões e em seguida, os participantes também apresentaram suas ideias e faziam perguntas, onde um dos professores respondiam de acordo com seu ponto de vista, a fim de se chegar a uma resposta concisa e convincente.

Esse momento foi bastante importante para os acadêmicos, visto que, é um assunto a qual deve interessá-los por estarem inseridos na área educacional. E se faz necessário conhecer e saber como está a educação e os rumos aos quais está tomando. E diante das discussões levantadas pelos professores e graduandos foi possível pensar de uma forma geral sobre como agir em meio a essas mudanças e até que ponto podem contribuir ou não para os discentes e docentes da educação básica.





terça-feira, 27 de setembro de 2016

Minicurso: "Como mentir com Estatística"

       No último dia 22 de setembro, aconteceu o minicurso: “Como mentir com Estatística”, realizado no LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DO CURSO DE MATEMÁTICA (LIMA), com carga horária total de 4 horas, ministrado pela professora Carina Brunehilde, nos quais estudantes e professores da educação básica puderam compreender melhor sobre o mau uso da estatística para maquiar dados e enfatizar opiniões. 


Foto: Edson Ribeiro
       O encontro instigou os participantes a analisarem qual o grau de confiança que devemos depositar nas análises estatísticas. Uma vez que podemos encontrar informações sobre os diferentes métodos utilizados - intencionalmente ou não - por médicos, jornalistas, publicitários, entre outros, para enfatizar opiniões baseando-se em um tratamento matemático tendencioso. Podemos encontrar em diversas mídias, gráficos estatísticos, que mesmo matematicamente corretos, podem não representar em nada a realidade, ou ainda, uma mesma projeção pode mostrar um futuro positivo ou alarmante, dependendo da amplitude de dados que ela cobre. O que foi constatado pelos participantes, ao analisarem alguns dados estatísticos presentes em importantes revistas.

       Tudo isso foi muito significativo, pois trouxe um maior esclarecimento aos participantes, ao alertar sobre o mau uso da estatística, que muitas vezes é utilizada para exibir números, gráficos e pesquisas que podem ser manipuladas em prol da criação de verdades completamente infundadas.




domingo, 25 de setembro de 2016

Encontro 5 do V Ciclo de Reflexões do PIBID/Matemática

Na tarde do dia 08 de Setembro de 2016, foi realizado o V Encontro do V Ciclo de Reflexões do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) do Subprojeto de Matemática da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). O encontro foi mediado pelos bolsistas da Escola de Ensino Médio Monsenhor Linhares, Carol Lopes, Deyse Linhares, Edna Brito, Hélio Farias, Janaína Muniz, Mailane Silva, Rosário Lopes e Roniele Carvalho (Supervisora). O encontro contou com a presença do Coordenador de Área Márcio Nascimento, Bolsistas do PIBID, Supervisores e com os demais estudantes do curso de Matemática.

O tema foi “PRECOMÁTICA: o preconceito existente em relação à Matemática” e a apresentação foi iniciada com o significado da palavra preconceito, que por definição, é uma opinião ou sentimento concebido sem exame crítico, em seguida foi mostrado um documentário com opiniões de algumas pessoas sobre Matemática e com participação especial de Mário Sérgio Cortella no qual afirmava que Matemática é a mais bela das ciências, mas a forma como é abordada não é atrativa para os estudantes e dificulta a aprendizagem. Após isso, os bolsistas fizeram um breve histórico sobre o surgimento desse preconceito, marcado na história com uma ideia pré-concebida de que “Matemática é para poucos”. Ainda, foi falado um pouco sobre o ensino de Matemática no qual passou por muitas mudanças nas últimas décadas. Também foi possível discutir sobre os fatores que influenciam, como as mídias, a família, a sociedade e como tentar amenizar essa situação.

Slogan do V Ciclo de Reflexões
Também foi apresentado o preconceito de matemática em relação à mulher. Assim os bolsistas apresentaram nomes de algumas mulheres que estudaram matemática e comentaram um pouco sobre a história de vida delas e suas contribuições no estudo de Matemática. Além disso, discutiu-se sobre como os professores podem influenciar e o que podem fazer para amenizar esse preconceito na disciplina. Esses devem buscar, através da ação pedagógica, incentivar, criar métodos novos e diversificar ações no sentido de reverter esta situação. 

Foto: Márcio Nascimento
O encontro foi encerrado com um vídeo de motivação, uma paródia feita por estudantes onde relata que é possível aprender matemática e superar o preconceito existente em relação à disciplina. 

Acredita-se que o Ciclo possa ter contribuído de alguma forma na maneira de os participantes pensarem a respeito do ensino de Matemática. Sem contar que, a troca de experiências ocorrida no momento auxilia na formação dos futuros professores. A equipe agradece todas as pessoas que participaram.





quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Seminários

Nos dias 17 e 25 de Agosto de 2016, os bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), do subprojeto de Matemática, da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) apresentaram projetos a serem desenvolvidos nas escolas. Em cada um desses dias 10 trabalhos eram apresentados para serem aplicados durante o mês de Setembro. 

Esses encontros ocorreram no LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DO CURSO DE MATEMÁTICA (LIMA) e contou com a presença dos 20 bolsistas de graduação, a supervisora Roniele Carvalho e o coordenador de área Márcio Nascimento, que pôde dar suas contribuições e sugestões a respeito das atividades apresentadas por cada um dos bolsistas. Ao total foram 20 projetos, com temas voltados ao ensino de matemática, que se destacam por abordar metodologias diferenciadas que podem contribuir para aprendizagem de uma forma atrativa e desafiadora.

Foto: Mailane Silva

Foto: Mailane Silva

Foto: Mailane Silva

Os bolsistas que atuam na Escola de Ensino de Médio Monsenhor Linhares apresentaram cinco trabalhos, com os seguintes temas:

A matemática dos códigos de barra (Edna Brito);

Sudoku: possibilidades no ensino e aprendizagem de matemática (Hélio Farias);

Contribuições para o ensino e aprendizagem de matemática usando audiovisuais: o caso do portal Khan Academy (Janaína Muniz);

Possibilidades no uso de fatos da História da Matemática para o ensino de Matemática (Mailane Silva);

Contribuições para o ensino e aprendizagem de matemática usando audiovisuais: o caso da série “Isto é Matemática” (Rosário Lopes).

Foto: Mailane Silva

Foto: Mailane Silva

Os seminários tiveram como um dos principais objetivos, preparar os bolsistas para elaboração de trabalhos acadêmicos, a fim de ganharem experiência tanto na forma escrita quanto na maneira de comportar diante de uma apresentação, como postura, desenvoltura, entre outros. Para os bolsistas, foi de grande importância, pois esses momentos resultam em crescimento para a formação acadêmica dos participantes.




Oficina sobre Análise Combinatória

Na manhã do dia 25 de Agosto de 2016, os bolsistas Hélio Farias, Janaína Muniz e Mailane Silva do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), do subprojeto de Matemática, da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), atuantes na Escola de Ensino Médio Monsenhor Linhares, aplicaram uma oficina com os estudantes dos 2° anos ‘A’ e ‘B’ sobre Análise Combinatória.

Nessa oficina buscou-se, desenvolver situações que envolviam o Princípio Fundamental da Contagem, Fatorial, Arranjos Simples, Permutação Simples, Combinação Simples e Permutação com elementos repetidos por meio de apostilas produzidas pelos bolsistas que atuam na escola. Todos esses tópicos voltados para o cotidiano do aluno, pois assim facilita o entendimento de tais assuntos.

Foto: Janaína Muniz

Foto: Mailane Silva

Inicialmente foram feitos alguns questionamentos a respeito do tema como: o que é análise combinatória? Onde é aplicada? Como pode auxiliar na compreensão de conteúdos matemáticos?. Em seguida foi feita uma leitura coletiva sobre os tópicos abordados com resolução de exemplos.

O momento foi finalizado com a resolução de algumas questões referentes ao assunto, oportunizando aos estudantes um melhor entendimento sobre os conhecimentos repassados. Com isso, pode-se afirmar que a aplicação foi executada com êxito, atendendo as expectativas dos acadêmicos.



III Encontro da I OPMAT

Na tarde do dia 18 de agosto de 2016, aconteceu no Laboratório de Ensino de Matemática (LEMA), o terceiro encontro da primeira Oficina Pedagógica de Matemática (I OPMAT), o evento foi organizado pelos bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) que atuam no Colégio Sinhá Sabóia  localizado na cidade de Sobral - CE.

Slogan do III Encontro "APLICAÇÃO E USO DO JOGO: BATALHA NAVAL NO CÍRCULO TRIGONOMÉTRICO"

Na ocasião estavam presentes os estudantes da Universidade Estadual Vale do Acaraú, sendo que o momento ficou marcado pela aplicação do jogo que torna o aprendizado mais divertido com processos lúdicos e dinâmicos.

Batalha Naval


O jogo original é jogado em duas grelhas para cada jogador Uma que representa a disposição dos barcos do jogador, e outra que representa a do oponente. As grelhas são tipicamente quadradas, estando identificadas na horizontal por números e na vertical por letras. Em cada grelha o jogador coloca os seus navios e regista os tiros do oponente. Antes do início do jogo, cada jogador coloca os seus navios nos quadros, alinhados horizontalmente ou verticalmente.

O número de navios permitidos é igual para ambos jogadores e os navios não podem se sobrepor. Após os navios terem sido posicionados o jogo continua numa série de turnos, em cada turno um jogador diz um quadrado na grelha do oponente, se houver um navio nesse quadrado, é colocada uma marca vermelha, senão houver é colocada uma marca branca.


Foto: Márcio Nascimento 
Foto: Márcio Nascimento 
Foto: Márcio Nascimento 




Reunião entre supervisora e bolsistas.

Na manhã do dia 20 de Julho, os bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), subprojeto de Matemática, da...